Vândalos quebram para-brisas de novos trens da Linha11-Coral

Quatro trens novos, da série 9000, que circulam na Linha 11-Coral Expresso Leste tiveram seus para-brisas quebrados na última sexta-feira, 21. Frequentemente, vândalos atiram pedras por cima do muro ou após invadir a faixa ferroviária, causando prejuízo financeiro e social, já que as composições são retiradas de circulação para a manutenção.
Em 2016, foram registrados 3.050 casos de vandalismo em trens que custaram R$ 4,3 milhões aos cofres públicos. Desse total, 188 foram atos contra vidros para-brisas dos trens. As ocorrências somente de para-brisas por linha foram: 15 na Linha 9-Esmeralda; 18 na Linha11-Coral; 29 na Linha 7-Rubi; 37 na Linha 10-Turquesa; 41 na Linha 8-Diamante e 48 na Linha 12- Safira.
Os números de 2017, impressionam ainda mais: de janeiro a junho, a Companhia teve que substituir 192 para-brisas danificados por vândalos.
As ocorrências por linha foram: Linha 9-Esmeralda com 6 casos; Linha 7-Rubi com 18; Linha 12-Safira com 38; Linha 11- Coral com 31; Linha 10-Turquesa com 38 e a Linha 8-Diamante com 61 substituições.
A Linha 8- Diamante, onde operam os trens novos da série 8.000 foi a que mais realizou substituição de para-brisas. No ano passado, foram substituídos 48 para-brisas, ao custo de R$ 610.857,77 e somente nos seis primeiros meses deste ano já foram substituídas 61 peças, ao custo de R$ 908.837,17.
Apesar de todas as medidas de segurança adotadas pela CPTM, como vedação da faixa ferroviária com muros, instalação de câmeras frontais nos trens e rondas de agentes de segurança, os casos de vandalismo nas composições continuam acarretando enormes prejuízos financeiros e de ordem social. Normalmente, os vândalos agem de fora da faixa ferroviária, se posicionando sobre viadutos ou atiram objetos por cima do muro, mas também há casos de invasão da faixa ferroviária.
Além de interromper a viagem dos passageiros, causando transtorno a todos, os reparos gerados pelos atos de vandalismo representam valores consideráveis no orçamento da Companhia.
Prevenção
A CPTM investe em segurança a fim de inibir os vândalos. Para isso, reforça o patrulhamento ostensivo e preventivo no interior das composições, organizando rondas 24 horas nos 257 quilômetros da malha ferroviária, além de blitz e operações especiais com a participação da Polícia Militar e Civil.
Em casos de denúncias, o anonimato é garantido. A empresa pede a colaboração dos usuários e os orienta a procurar os funcionários nas estações ou comunicar o fato através de SMS para o Disque Denúncia pelo telefone 97150-4949 ou ao Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU), pelo tel. 0800-0550121, gratuitamente.

Riselda Morais

Jornais da ACRM – Fonte segura de informação!