Poesias

Os beijos que não te dei – Poetisa Riselda Morais

É fim de tarde, em plena primavera
nem sei quando, numa das esferas
atrás no tempo, há algumas eras
teu olhar, ao meu, veio encontrar

Quase sorri, senti-me atrevida
o melhor beijo começa no olhar
sinal de quem está a procurar
alguém para partilhar a vida

Um conflito de emoções sentidas
reações tímidas logo foram lidas
por quem está atento a observar
deixando-me ao vento e sem ar

Caminho entre as flores, bem devagar
divertindo-me com galhos que se tocam,
que se abaixam, se elevam e se roçam
com a natureza que brinca sem parar

Logo me atento a um leve caminhar
percebo-me acompanhada de alguém
e meio cínica, com ares de desdém
finjo que nem vou me importar

Até que sua mão estende-se a oferecer
a flor mais bela que se pode encontrar
parei, emudecida, sem saber o que dizer
emocionada, com o coração forte a pulsar

Foi o melhor entre os presentes caros
o mais feliz entre os momentos raros
tão especial, que não esqueci ainda
da flor, que do campo, era a mais linda

E o despertar do mais lindo sentimento
veio marcar uma era, um momento
viajando entre sonhos para me levar
a nesta vida, em meu hoje, te lembrar

E acordar com a dor de viver sem 
sua presença ou voltar a caminhar 
por entre as flores, que todo ano vem
com seu cheiro e suas cores encantar

Ai viajo pelos caminhos da alma
entre os sonhos e a lembrança
entre a vida e a mente calma
e vejo, de outra vida, és herança

Dentro de uma vida, vejo tudo que vivi
revivendo coisas que jamais senti
e sentindo o que já não me pertence

Eu te quis tanto e nunca te toquei
vejo que entre os beijos que jamais te dei
estão os versos mais lindos que escrevi!