Poesias

Esperança – Poetisa Riselda Morais

Deixo que a esperança me invada
Corpo e alma, coração e mente
E que nela flua conservada
A vida ao germinar da semente

Sigo a vida, 
caminhando calmamente
Tão logo à noite,
dá lugar ao novo dia
E vejo a água,
que corre transparente
sob a luz da lua 
e com linda melodia

A semente, sublime, iluminada
Vence as trevas e a escuridão
Passa por tudo, porém, em nada
Lembra a tristeza ou a solidão

A esperança faz a vida renovada
Alimentando a razão e a emoção
É riqueza, é honrado sentimento
Que traz calma e contentamento

Contentamento, 
por poder existir
Poder sentir que a vida vale à pena
O sol, a lua, as estrelas, o pensamento
A liberdade, a terra, o mar, o vento

Imprescindível, 
o fogo, a água, o ar, o amor
E inevitável, 
o sentimento, o sonho, a dor
Contemplando
o lírio, a orquídea, a açucena
Vi que vivendo na esperança,
tudo prova,
que o destino tem seu
palco e está em cena!