Poesias

Desencontro – Poetisa Riselda Morais

Amei-te e por te amar
há muito eu já sofria
olhando o céu e o mar
lebrava-te então sorria

Querer-te, eu sempre quis
porém ter-te nunca tive
agora sou eu quem diz
por não o ter, não o perdi

Enquanto estavas diante
de meu olhar eu confesso
muitas vezes desejei
ao teu coração ter acesso

Porém nunca o alcancei
com pensamento disperso
simplesmente eu viajei
por todo o Universo

Foi uma fuga, eu sei
do desejo sem sucesso
só agora eu pensei
falar-te em forma de verso

Distante o amor da alma
olhava-me e não me via
observando-o com calma
entendi que não sentia

Amor no coração
ou carinho por alguém
e não tinha intenção 
de ser feliz com ninguém

Amor, não no coração
se é músculo você diria
e só age com a razão
de maneira muito fria

Não conheço seu anseio
se és capaz de amar
agora é tarde, eu creio
que não vou te encontrar

Agradeço ao desencontro
ao fato de não o amar
e se houver um encontro
já não vou o desejar

Amar quem não existe
é como se enganar
e ver em hora triste
que o inventou ao pensar

Sequer percebo, a mim minto
por não pensar com a razão
invento então o que sinto
ao pensar com a emoção

Lembrar um olhar mudo
nada diz e não se esquece
horas parece dizer tudo
mas logo ele emudece

Um olhar que nada diz
um olhar que não se apaga
já não é o que eu quis 
já não representa nada!