Poesias

Vítimas da Desigualdade Social – Poetisa Riselda Morais

A tristeza desta gente
Chega a me dar calafrio
Ver um ser inteligente
A tremer, a morrer de frio!

Cruel é seu sofrimento
Sua dura realidade
Sua pobreza, seu tormento
Sua grande penalidade 

Embaixo do viaduto
Ou jogadas nas calçadas
Outrora já trabalharam
e já foram respeitadas

Agora perderam tudo
por mendigos são tratadas
Com desprezo e desdém
como ovelhas desgarradas

Não precisam os excluídos
de nossa sociedade
Que lhes viremos a cara,
lhes tratemos com maldade

Precisam de nossa ajuda,
A chamada caridade
Que lhes estendamos a mão,
com muita generosidade

E se você estivesse,
em igual situação?
Iria querer que lhe tivessem,
bondade de coração?

Que lhes dessem a mão amiga,
respeito e atenção?
De sua parte ganhariam
amizade e gratidão?!
Aquela roupa usada,
Que serve para aquecer
Aquela cama quentinha,
É tudo que querem Ter

Um trabalho lhes faria,
outra vez querer viver
Teriam uma família,
alimento para comer

Não precisa ter poder,
para fazer uma doação
é importante que dê,
a sua colaboração

Com humildade para Deus,
a sua contribuição
poderá simbolizar
Da alma a salvação!