Ruas esburacadas causam muitos problemas para motoristas e veículos nos bairros da capital paulista

Riselda Morais

    No meio do caminho tinha um buraco, agora tem muitos buracos no meio da caminho!

      Dirigir nas ruas dos bairros da capital paulista está cada dia mais complicado, transformou-se em um rally urbano no qual o(a)  motorista tem que fazer verdadeiros malabares ao volante e, mesmo assim, ao desviar de um buraco pode acabar caindo dentro de outro. Mesmo o(a) motorista tomando todos os cuidados, respeitando os limites de velocidade, mantendo distancia do veículo da frente, não está livre dos transtornos causados pelos buracos, principalmente daqueles que surpreendem feito crateras e dos que vem em série.
    Os buracos nas vias, além de danificar os pneus, componentes de suspensão e amortecedores do veículo podem provocar acidentes.     
      Dependendo do tamanho do buraco, da velocidade do veículo e do impacto as rodas também podem ser danificadas. Aí além da despesa com as peças e com o mecânico, o cidadão que paga IPVA caríssimo, ainda tem que realizar alinhamento e balanceamento, tendo assim um custo alto para usar o veículo nas vias públicas da capital paulista.
     Os buracos estão por toda a parte, em vias movimentadas como a Radial Leste e grandes avenidas, mas estão principalmente nas ruas dos bairros onde os serviços não têm visibilidade política e por isto as ruas ficam esquecidas.
     Além dos buracos e lombadas sem pintura, tem os desníveis, verdadeiros remendos mal feitos no asfalto que fazem o carro trepidar causando um terrível desconforto. A situação piora nos dias de chuva, com semáforos sem funcionar, buracos e deficiências do asfalto escondidos embaixo do alagamento e motoristas enlouquecidos pelo stress cometendo várias irregularidades e provocando acidentes.
      Dirigir em velocidade baixa fica mais fácil desviar dos buracos mas quando torna-se inevitável saiba que:
– Quanto mais rápido estiver dirigindo, mais difícil será desviar e maior será o impacto.
– Ao passar dentro de um buraco você pode perder o controle do veículo; ter uma roda amassada ou empenada; um pneu rasgado, pneu estourado, ou o cordonel de aço dentro do pneu estourado; quebra do pivô, que é o parafuso que liga balança e roda; danificar os amortecedores; danificar a suspensão e desalinhar, perder o balanceamento; desalinhar o veículo entre outros danos.    \

       Quando depois de passar por um buraco ou cratera você perceber algum destes problemas no veículo procure uma oficina:
– Roda amassada ou empenada; vibrações, rigidez inesperada, barulhos metálicos vindo da suspensão ou amortecedor; volante tremendo ou desalinhado, puxando mais para um lado; pneus com bolha ou corroídos por dentro; instabilidade nas curvas ou nas frenagens. 

Direitos previstos:

O motorista que teve o veículo danificado por ter caído em buracos dentro do perímetro urbano de um município pode acionar a Prefeitura para que os danos sejam ressarcidos. O mesmo ocorre se o pedestre se ferir ao cair em um bueiro ou buraco, por exemplo.
     O direito é assegurado pela Constituição Federal e explicitado, principalmente nos artigos 186, 402, 927 e 944, previstos no Código Civil Brasileiro, que determinam as situações passíveis de reparação de danos, responsáveis pela ocorrência, além do valor da indenização a ser solicitada. É necessário fazer boletim de ocorrência, fotos e comprovar os prejuízos sofridos em decorrência dos buracos, sejam eles físicos ou morais e entrar com uma ação indenizatória.

 

Riselda Morais

Jornais da ACRM – Fonte segura de informação!